Publicidade

Vingadores – Guerra Infinita

28 Abril 2018

Críticas

Após 10 anos, Marvel acerta em cheio, incrementa sua fórmula e entrega um ótimo filme.

por: Ramires Silva

Vingadores – Guerra Infinita | Sou Brasília

Após o primeiro Homem de Ferro (2008), a Marvel finalmente nos apresentou Thanos, e Vingadores – Guerra Infinita não é apenas mais um filme nesse universo, é o primeiro grande evento que irá transformar todos os personagens que aprendemos (ou não) a gostar durante esses 10 anos. A Marvel acertou em cheio, os elementos que geraram todo o sucesso até aqui são mantidos e elevados a um novo patamar.

A história conta a saga de Thanos para reunir as jóias do infinito, e cabe aos Vingadores unir forças com os Guardiões da Galáxia para tentar detê-lo. A princípio um filme de tamanha magnitude e com tantos personagens se apresenta como um enorme desafio, mas nele só há espaço para um deles “contar” sua história: Thanos. Ele é o centro do enrendo, um acerto dos roteiristas Christopher MarkusStephen McFeely, que entenderam que um personagem que possui o poder de destruir o universo deve ter sua devida relevância. E graças a atuação sutil de Josh Brolin, a profundidade que faltou em tantos vilões da Marvel agora está presente, mesmo que sua interpretação tenha sido realizada por captura de movimento.

Entretanto, muitos podem discordar, o tempo foi pouco. Apesar de ser um vilão carismático, inteligente, engraçado, cruel e amável ao mesmo tempo, sua motivação por mais lógica que seja, não é totalmente crível. É custoso compreender o que levou alguém a tamanha loucura, lutar e entregar tudo por uma causa que ninguém apoia. Definitivamente Thanos precisava ter sido aprofundado pouco a pouco em outros filmes, assim como os demais protagonistas desse universo.

Naturalmente alguns personagens perderam seu peso, é praticamente impossível colocar todos juntos em cena. A narrativa prejudicou Steve Rogers e companhia, que nos momentos de ação tiveram seu brilho, mas pouco apareceram nas outras ocasiões. Talvez o papel de destaque esteja guardado para o próximo filme, previsto para 2019. Em compensação os outros grupos são de extrema importância para o desenrolar da trama, pois possuem ligação direta com o personagem principal. Vale um destaque para Thor que definitivamente atingiu outro nível após seu terceiro filme e aqui mostra todo o seu poder, além  de uma atuação mais convincente de Chris Hemsworth.

Ver todos esses personagens reunidos lutando pela mesma causa é de encher os olhos. A interação de personalidades tão diferentes soa de várias formas e ver o vilão roubar a cena faz o termo “filme de herói” meio contraditório. A era dos heróis no cinema inicia uma nova e grandiosa etapa que chega com incríveis e memoráveis cenas de ações, referências para os fãs, tensão, emoção, humor (muito humor), consequências e uma pitada de esperança. Há ressalvas, é claro, mas definitivamente Vingadores – Guerra Infinita entrega tudo que prometeu.

9 / 10

Ficha Técnica:

Elenco: Robert Downey Jr., Chris Hemsworth, Mark Ruffalo
Direção: Joe Russo, Anthony Russo
Gênero: Ação

Sinopse:

Thanos (Josh Brolin) enfim chega à Terra, disposto a reunir as Joias do Infinito. Para enfrentá-lo, os Vingadores precisam unir forças com os Guardiões da Galáxia, ao mesmo tempo em que lidam com desavenças entre alguns de seus integrantes.

Horários:

Kinoplex
Cinemark

Trailer

Não deixe de compartilhar:

Sobre o autor:

Ramires Silva

Ramires Silva

Publicitário pós-graduado em cinema que não vive sem música, cinema e mistérios que permeiam o universo. Reside em Brasília e ganha a vida como designer e developer.

Deixe seu comentário: